Hoje, vamos falar e conhecer um pouco mais sobre a Arte Conceitual, suas características, principais artistas e também momentos marcantes da mesma.

Todos nós que amamos a arte sabemos de como ela possui impacto em nossa sociedade, através de suas respectivas linhas e expressões criadas através dos autores.

Aqui em nosso site você já conheceu diversos destes momentos expressivos da arte, como o poder da arte contemporânea e também da urbana.

No caso da arte contemporânea, como já citamos em seu post exclusivo, atualmente a mesma domina o cenário artístico e dificilmente será sucumbida devido a sua grande variedade de linhas.

Assim como é a urbana, que faz parte da contemporaneidade da arte, traz à rua, a voz do povo, lindos manifestos e também vida aos lugares em que passamos no nosso cotidiano.

Porém, a vasta variedade de linhas artísticas nos permite viajar a vários momentos da história, formando o que conhecemos hoje como arte.

Pensando nisso, trouxemos hoje um pouco do que é a Arte Conceitual e de como ela se manifesta através de sua vanguarda moderna.

Acompanhe-nos até o final do post e comente o que achou, se ficar com alguma dúvida também pode comentar. Sem maiores delongas, vamos lá!

Arte Conceitual – A VANGUARDA ARTÍSTICA MODERNA!

Arte Conceitual

Arte Conceitual

Definição da Arte Conceitual

Em poucas palavras, podemos definir a arte conceitual como mencionamos no próprio título da publicação, sendo uma vanguarda artística moderna, que teve seu início entre as décadas de 60 e 70 nos EUA.

Esta, pode ser considerado o eixo da arte que mais se destoa da realidade em determinados momentos, isto porque está baseada em conceitos.

Mas, por que se distancia da realidade por ser baseada em conceitos?

O motivo é que a mesma sofre de intervenções a partir do mundo das ideias e expressões, podendo tomar formas incríveis como você verá com o decorrer do texto.

Isto é arte!

Desta forma, podemos chamá-la também de uma arte visual, já que precisamos refletir e analisar em cima da pintura ou outro tipo de instalação que o autor resolveu adquirir.

Podemos dizer então, que esta é uma linha artística, que acaba por criticar os meios padrões da arte, explorando todos os conceitos das ideias e reflexões.

Henry Flynt foi o primeiro artista a utilizar o termo arte conceitual, no ano de 1961, diante às práticas do Grupo Fluxus.

Grupo Fluxus

Podemos considerar este grupo como revolucionários da arte que apareceram pouco depois da metade do século passado.

Os mesmos criticavam a comercialização da arte através de suas artes, como podemos ver abaixo nesta obra de Yoko Ono, exposta em Londres no ano de 1966

Batizada como Ceiling Painting

Batizada como Ceiling Painting

Principais Características da Arte Conceitual

Paulo Bruscky em 1978, em pleno período ditatorial

Paulo Bruscky em 1978, em pleno período ditatorial

Agora que você já entendeu um pouco melhor sobre o conceito desta arte e um pouco de seu início histórico, vamos as suas principais características.

Características essas que são pilares essenciais na próprio definição de arte. Leia:

  • estímulo a participação do público que assiste alguma instalação;
  • popularizou a arte conceitual como uma forma de entregar mensagens;
  • o artista já não possui tanto apego a obra que criou;
  • críticas duras e severas ao mercado e a comercialização das artes;
  • o momento de valorização dos pensamentos e ideias dentro do mundo artístico;
  • a estética já não é mais o foco das telas;
  • possui um caráter eclético muito forte, podendo ser expressa de diversas formas alternativas.
  • cultua a antiarte, ou seja, através de obras radicais, o criador traz uma forma diferente de enxergar a arte, como na imagem abaixo:

Culto a Antiarte, ambas obras de Marcel Duchamp

Culto a Antiarte, ambas obras de Marcel Duchamp

5 Artistas Famosos da Arte Conceitual

Bom, já entendemos seu conceito e também suas principais características, portanto, está na hora de conhecer seus artistas e suas obras que os fizeram famosos.

Leia abaixo a lista com cinco dos nomes mais fortes dentro dessa conceitual arte. Veja:

1# Marcel Duchamp

Já citamos uma obra de Marcel aqui no post, então, vamos começar pelo mais influente artista do movimento.

Mas afinal, qual era a ideia do mesmo em relação ao seu conteúdo? Era utilizada da técnica ready-made, trazendo objetos do nosso cotidiano ao patamar de arte.

Veja:

Será que tudo que eu chamar de arte pode ser considerada como

Será que tudo que eu chamar de arte pode ser considerada como

2# Piero Manzoni

É revolução artística que você quer? Então precisa conhecer Manzoni, o italiano que criou a arte Merda de Artista, no ano de 61, buscando criticar a comercialização da arte.

Veja:

Obra do italiano

Obra do italiano

3# Robert Rauschenberg

Afinal, já que a arte não pode ser rotulada, então por que não optar pelo abstratismo contemporâneo? Era assim que o americano pensava e acabou por fazer.

Dê uma olhada em sua obra As Bicicletas, da década de 50, dando um início precursor ao movimento:

As bicicletas

As bicicletas

4# Yves Klein

Sua obra, o salto no vazio, pode ser considerada uma das mas polêmicas e inovadoras para a época.

O mesmo flertou com diversas linhas, sendo a literatura e fotografia as mais distanciadas da própria arte conceitual moderna, veja:

Salto no vazio

Salto no vazio

5# Joseph Beuys

Afinal, o que é arte?

Joseph achava que era espiritual e também se conectava as mentes de quem as assistia, portanto criou obras efêmeras e extremamente fortes na época.

Apesar de abaixo estar a imagem de sua mesa de energia, sua obra mais marcante foi “Como explicar quadros a uma lebre morta”, onde o mesmo carregou o animal dando voltas por todo o salão.

Sinistro!

A mesa de energia

A mesa de energia

E então, o que achou da arte conceitual? Já conhecia? O que achou de sua ideia inovadora de questionar o mercado artístico? Conte a nós, comente abaixo!

Afinal, sua opinião é de suma importância para nós!

Até a próxima!

Conheça o Blog do Teatro L'Occitane