O Globo Repórter com seu programa “Arte como passaporte” mostra como a vida de muitos jovens pode mudar a partir do contato com a arte. E uma dessas matérias, realizadas pelo programa, foi feita no encantador distrito de Trancoso que fica na cidade de Porto Seguro, no Sul da Bahia.

Festival de Música em Trancoso

No ano de 2017 houve a 6º edição do Festival de Música de Trancoso que foi realizada no Teatro L’Occitane. O evento tem 8 dias de duração, recebendo bandas nacionais e internacionais, e o espaço recebe o público tanto em ambiente coberto quanto ao ar livre, cada lugar cabendo em torno de mil pessoas.

A alemã Sabine Lovatelli, é uma das responsáveis pela organização do Festival e leva o público à um lugar que os recebe a mesma altura dos músicos que estão presentes para o evento: o Teatro L’Occitane. Recebendo nomes tão importantes da música, principalmente erudita, é essencial que o ambiente seja tão encantador quanto as apresentações.

Além disso, Sabine, possui o enorme interesse em tornar mais acessível ao público esse tipo de arte e cultura, já que no Brasil quase tudo gira em torno de “carnaval e futebol”. É bem promissora esta proposta, e por isso ela está há anos a frente de projetos com esse cunho, ajudando a levar arte onde for possível.

Incentivo à carreira profissional

O programa “Arte como passaporte” realizado pelo Globo Repórter em junho de 2016, exibe a realidade dos jovens que mudaram suas vidas com o auxílio da arte: dança, música, teatro. Inclusive mostra como muitos jovens investiram bastante na oportunidade que tiveram de alavancar suas carreiras chegando a realizar cursos no exterior e tendo seus nomes reconhecidos dentro da arte.

O programa mostra um desses jovens, Webster, que teve a oportunidade de frequentar aulas de contrabaixo e foi até para a Alemanha aprender um pouco mais sobre o instrumento e a carreira profissional.

Hoje é um dos músicos da orquestra experimental de repertório do Teatro Municipal de São Paulo e em Trancoso participa das masterclasses, ministradas durante o Festival de Música no Teatro L’Occitane, nas quais tem contato direto com grandes músicos profissionais, inclusive estrangeiros, e os alunos são orientados e avaliados por esses músicos.

Lovatelli ainda diz “Quando fazemos trabalhos com músicos de comunidades carentes, faço questão que eles passem pela mesma seleção dos outros, eles precisam competir, entrar no mundo real”.

Cultura para todos

Além dos incentivos para os jovens que querem aprender arte, há o incentivo para a população ter acesso a esse tipo de cultura. Sabine faz questão de trazer música clássica de forma gratuita para que todos possam assistir, abrindo as portas do Teatro L’Occitane para todos da melhor maneira possível. Já que desde menina a música clássica fazia parte do repertório de seu cotidiano, principalmente a ópera, ela quer que os brasileiros também tenham o direito de conhecer essa cultura de forma mais acessível.

Alunos das escolas públicas da região também possuem contato com a música clássica dentro do ambiente escolar. Os projetos desenvolvidos em Trancoso também levam músicos até as escolas para apresentações ou cursos sobre a música. Alunos que nunca tiveram contato com esse tipo de cultura ficam encantados e dispostos a receber o novo que lhes é mostrado.

Sem medir esforços Sabine Lovatelli e o Teatro L’Occitane querem levar arte e a educação para todos os lugares onde for possível.

Faça uma Visita Virtual ao Teatro L'Occitane.

Translate »