Os índios Pataxós são uma tribo localizada no extremo sul da Bahia. Mantendo suas tradições culturais, procuram ao máximo conservar as riquezas de sua vivência tradicional. Preparamos este artigo para dividir com você, leitor, como é a vida de um Pataxó hoje.

A hospitalidade dos índios Pataxós

Indians of northeastern of Brazil (1).jpg
Por Tetraktys – Agência Brasil [1], CC BY 3.0 br, Ligação

Os Pataxós, assim como muitas tribos hoje, estão muito bem integrados e conectados à sociedade globalizada. São conterrâneos de nosso universo de redes sociais. O fato de conservarem a cultura indígena não os impede de conviver com o povo urbano com muita hospitalidade e empatia.

A hospitalidade é palpável: há eventos de vivência promovidas por empresas locais de turismo, onde visitantes podem participar de atividades características da tribo, aprender sobre suas lendas, rituais e histórias tradicionais. Confira também nosso artigo dedicado à história Pataxó.

São 31 aldeias formadas por mais de 10.000 habitantes (12.326 segundo o censo de 2014 do SIASI). Os índios Pataxós falam o português com alguns vocábulos na língua Pataxó. Alguns deles habitam em tribos ao norte de Minas Gerais.

Atividades e vivência

Two Pataxo indians (Brasília, 04 April 2006).jpeg
CC BY 3.0 br, Ligação

Os habitantes praticam pesca e agricultura de subsistência, além de cultivar cacau e criar gado para gerar renda.

Há também a venda de artesanato indígena e investimentos no etno-turismo, como já descrito. Alguns Pataxós prestam serviços de hotelaria e aluguel de barracas em Porto Seguro.

O modelo de divisão de trabalhos geralmente confere aos homens as atividades braçais, de pesca e de sustento, e às mulheres o cuidado das crianças e dos afazeres domésticos. Porém, estes papéis podem mudar: algumas aldeias mais próximas às cidades adotaram vivências com mais liberdade nas atividades, onde os trabalhos são divididos igualmente entre os gêneros.

A tradição Pataxó é também igualitária: homens e mulheres são capazes de assumir cargos de liderança.

Na aldeia Coroa Vermelha, os Jogos Indígenas são realizados anualmente, onde muitas comunidades indígenas reúnem-se para celebrar a cultura Pataxó e transmiti-la às próximas gerações. Há disputas de cabo de guerra, disparo de zarabatana, arremesso de takape, entre outras atividades.

Em cada uma das comunidades Pataxós na Bahia, existe pelo menos uma escola. Os professores resgatam a cultura indígena nas escolas, ensinando o Patxôhã além do português, e dando espaço à tradição Pataxó em aulas de geografia, história e matemática.

Frequentemente, as crianças estudam na aldeia até o quinto ano do ensino fundamental, e depois concluem o ensino fundamental e médio nas escolas do município, podendo depois partir para faculdades normalmente.

Organização social

Indians of northeastern of Brazil (6).jpg
Por Tetraktys – Agência Brasil [1], CC BY 3.0 br, Ligação

Os Pataxós costumam ter grandes famílias, chegando a dez ou mais filhos. É costumeiro que cada família trabalhe para seu próprio sustento, sem deixar de manter o contato com pais e parentes.

Os indígenas fazem política: o cacique, principal líder, aliado aos conselheiros e outros cargos de liderança, responsabilizam-se por cuidar de questões comuns a todos, sanando necessidades da comunidade.

Não há ‘mandatos’, pois o cargo de cacique depende inteiramente da satisfação da comunidade com o eleito. Em último caso, os índios se reúnem para eleger um cacique novo caso estejam insatisfeitos.

Por não adotar formas de governo arbitrárias e burocráticas, a sociedade Pataxó não é homogênea. Existem grupos concorrentes e grupos que convergem uns com os outros.

É possível aprender muito com a cultura Pataxó, desde o respeito à tradição até a organização governamental totalmente voluntária, comum e livre. O senso de comunidade é forte e, em muitos aspectos, proporciona uma vida muito mais pautada em união do que o costumeiro caos individualista da hierarquia urbana.

Nobre é a luta dos índios Pataxós por direitos, por reconhecimento e pela sobrevivência de sua cultura.

Fontes

Imagem em destaque: colagem de fotografias de Yves Picq – Licença Creative Commons 3.0 SA

https://pt.wikiversity.org/wiki/Wikinativa/Patax%C3%B3
https://escola.britannica.com.br/levels/fundamental/article/patax%C3%B3/483443
https://pataxomg.wordpress.com/quem-somos/
http://www.mukamukaupataxo.art.br/Atividades-Economicas
http://www.mukamukaupataxo.art.br/Organizacao-Social-e-Politica
http://redeglobo.globo.com/globoeducacao/noticia/2012/06/conheca-escola-da-aldeia-indigena-dos-pataxos-localizada-na-bahia.html

Conheça a Bahia e as belezas que este estado oferece

Categorias

Translate »