Um programa excepcional marcou a abertura do 6º festival Música em Trancoso na noite de ontem (18 de março). Além da estreia de uma nova orquestra brasileira – a Acadêmica Mozarteum Brasileiro – a riqueza das tradições russas foi apresentada em sua plenitude pelo Coro Yurlov, a mezzo-soprano Svetlana Shilova, o barítono Alexander Kasyanov e o Quarteto Terem. Foi um verdadeiro banquete musical. A Orquestra Acadêmica Mozarteum Brasileiro, sob regência do maestro Carlos Moreno, abriu o espetáculo com o Hino Nacional Brasileiro e uma solista convidada: a jovem soprano brasileira Camila Rabelo, bolsista que se revelou na academia Canto em Trancoso de 2016.

Durante a apresentação, acompanhando os artistas russos ou tocando Tchaikovsky (4º movimento da “Sinfonia nº 4”), a Orquestra Acadêmica Mozarteum Brasileiro, sob regência de seu maestro, Carlos Moreno, mostrou que tem tudo para se transformar em um dos mais importantes conjuntos sinfônicos do Brasil.

Os cantores e músicos russos, por sua vez, proporcionaram uma verdadeira viagem pelas tradições musicais da Rússia, com um repertório baseado em raízes populares, com forte influência do folclore. É raro contar com este tipo de programa no Brasil, por isso a “Noite Russa” deste 6º Música em Trancoso foi tão especial. Rica e contagiante, a cultura tradicional russa se manifesta na música e na dança com grande intensidade. Por meio de Svetlana Shilova e Alexander Kasyanov, extraordinários solistas que na Rússia cantam com freqüência no Teatro Bolshoi, e também do Coro Yurlov e do Quarteto Terem, foi possível se encantar com a mistura de virtuosismo e paixão que marca a música tradicional russa.

O programa trouxe clássicos desta tradição, até canções que se tornaram populares em todo o mundo – como “Wolga, mãe dos rios” (“Mother River Wolga”) e “Olhos Negros” (“Ochi cherniye”). As “Danças da Polovetsia” (“Polovetsian Dances”), de Alexander Borodin, que no Brasil são mais conhecidas pelas versões orquestrais, foram apresentadas pelo Coro Yurlov e pelo Quarteto Terem, com seus instrumentos típicos como a balalaica e o bayan (acordeão de botões com características desenvolvidas especialmente pelos russos).

A conhecida passionalidade da “alma russa”, transmitida pelos maravilhosos artistas convidados pelo Música em Trancoso 2017, entrou em imediata sintonia com o público brasileiro, nesta primeira e inesquecível noite do festival, que prossegue com sua diversidade de atrações até 25 de março.

Resumo do dia

Fonte: Música em Trancoso


Faça sua festa no Teatro L’Occitane.
Clique aqui e solicite orçamento.
Translate »