De Sebastian Bach e Wolfgang Mozart, ícones eternos da música orquestral clássica, a Igor Stravinsky e Glenn Branca, vanguardistas das orquestras modernas e pós-modernas, a orquestra sinfônica é um dos maiores tesouros da expressão artística humana, carregando consigo as emoções e expressões de épocas passadas. Sejam franceses de peruca que arrancam lágrimas dos espectadores ou ousados pós-modernos gritando harmonias cacofônicas, suas intenções são as mesmas: orquestrar sons para expressar emoções. Vamos abordar a orquestra sinfônica a fundo?

Ao dicionário!

O que significa “orquestra sinfônica”? A palavra orquestra remonta ao grego e refere-se à parte do teatro entre o palco e a plateia, onde ficavam os músicos. Já a palavra sinfonia é a união do prefixo sum– (união de) e do sufixo -phone (sons).

Um pouco de teoria

Músicos vão adorar este parágrafo. Por ser uma “união de sons”, uma orquestra sinfônica majoritariamente faz uso de um dos fundamentos da música: a harmonia. Harmonia é definida como a relação entre diferentes notas musicais e a respectiva consonância ou dissonância desta relação. Por unir múltiplos instrumentos, a composição de uma orquestra precisa ser cautelosa quanto à harmonia. Há inúmeras maneiras de se encarar a harmonia, desde os tranquilos e perfeitos intervalos de Vivaldi até as bizarras, tensas harmonias de Stravinsky.

Orquestra sinfônica ou filarmônica?

A palavra “filarmônica” provém dos radicais gregos phil (amor a) e harmonia. Significa, a grosso modo, uma harmonia amável. Como há pouca diferença entre este sentido e o sentido de sinfonia, os dois termos são usados para se referir à mesma coisa. Portanto, não entre em pânico quando encontrar esses dois termos – as duas expressões são usadas nos dias de hoje puramente por fins de nomenclatura, diferenciando um grupo de músicos de outro.

É preciso ressaltar que existe também a orquestra de câmara, um tipo distinto de orquestra que diferencia-se por sua quantidade exponencialmente menor de instrumentistas. Enquanto a orquestra sinfônica pode esbanjar mais de uma centena de membros, a orquestra de câmara não passa de cinquenta, e frequentemente está muito abaixo desse número. Exemplos importantes são o quinteto e o quarteto de cordas, formatos explorados pelos grandes Beethoven e Mozart.

Os instrumentos da orquestra sinfônica

instrumentos da orquestra sinfônica

Layout de uma orquestra sinfônica. Imagem: UFRGS

A orquestra sinfônica geralmente pode ser dividida em grupos de instrumentos baseados na qualidade dos sons que produzem. As orquestras, em geral, podem ser divididas em madeiras, metais, percussão e cordas. Há instrumentos que apresentam qualidades de mais de um desses grupos, como o piano. Como assim? É simples: o piano, apesar de ser majoritariamente um instrumento melódico, pode também assumir papel rítmico na música. A própria estrutura do piano, com ‘martelos’ que percutem as cordas, garantem essa qualidade.

E os cantores, onde ficam? É claro, a orquestra também pode assumir o formato de ópera ao incorporar o canto. Os timbres complexos do vocal humano são capazes de gerar harmonias intensamente orgânicas e belas, e por isso, o subgênero inteiro da ópera é dedicado aos vocalistas e seus poderosos pulmões.

O coração da orquestra

condutor de orquestra sinfônica

Qual o papel do condutor na orquestra sinfônica? Por que é necessário ter um condutor, já que os músicos já ensaiaram fervorosamente a obra que será tocada? É simples: apesar de ser a única pessoa no palco que não faz som algum, o condutor é absolutamente vital para a qualidade artística da orquestra: sem ele, tocar a música seria um ato totalmente mecânico. Condutores são o coração da orquestra por transformarem cada música em uma performance artística diferente, e transformando a própria orquestra em uma espécie de arte de espetáculo, dotada de movimento, emoção, carisma e imagem. Enquanto os instrumentos entram em harmonia através dos sons, o condutor harmoniza as emoções dos músicos através de seus gestos.

Fontes:

https://www.thoughtco.com/what-is-an-orchestra-2456541
http://www.newworldencyclopedia.org/entry/Wolfgang_Amadeus_Mozart#Style
http://www.suapesquisa.com/o_que_e/orquestra.htm
http://www.ufrgs.br/napead/repositorio/objetos/orquestra-virtual/instrumentos.php
https://method-behind-the-music.com/history/composers/

Orquestra Sinfônica de Bucareste

Benoit Fromanger, regente | Joanna Wós, soprano | Tadeusz Szlenkier, tenor

Data: 03 e 04 de novembro de 2017

Translate »