Hoje vamos falar um pouco mais da Op Art, um movimento artístico que surgiu há décadas atrás e que ainda perdura com obras novas até os dias atuais.

O que já podemos notar através do tour artístico que estamos fazendo aqui em nosso blog atualmente, é que as décadas de 50, 60 e 70 foram essenciais para arte.

Estamos falando da época mais movimentada do mundo da arte perto dos nossos dias, onde vários movimentos novos, e, principalmente críticos surgiram.

Desde a arte contemporânea, passando pela povera e agora passando pela Op Art, esses movimentos mudaram de uma vez por todas o mundo das artes.

Então, caso você querer saber ainda mais sobre o início e também a atualidade da Op Art, acompanhe-nos até o final do conteúdo de hoje.

E claro, não se esqueça de comentar, afinal, a sua dúvida ou contribuição pode ser de suma importância para nossos outros leitores.

Sem maiores delongas, vamos lá!

Op Art – ENXERGANDO ATRAVÉS DA ILUSÃO DE ÓTICA!

Op Art

Op Art

Qual o Intuito da Op Art?

Mas afinal, qual o intuito e mensagem que a Op Art pretende passar as pessoas que estão analisando a obra e tentam entender o artista?

Antes de responder esta pergunta, é interessante sabermos um pouquinho mais sobre a sua história, o local e data onde surgiu suas primeiras obras.

Leia até o final e obtenha também a resposta acima:

Início da Op Art

The Responsive Eye

The Responsive Eye

Também chamada de “optical arte” (arte ótica), a mesma atingiu seu auge na década de 60, lá nos Estados Unidos da América, país já famoso devido a pop art ter se difundido tanto em seu território.

A arte se baseia em quaisquer que seja o recurso desde que totalmente visual, ou seja, buscando envolver quem a olha através de ilusões de ótica, por isso o nome.

Então, podemos dizer que o intuito da op art é promover uma sensação de mutabilidade em nossa sociedade e as diferentes formas de encararmos isso.

Sua teoria se baseia na frase “menos expressão e mais visualização”.

Arte in Society

Art in Society

Ainda sobre sua história, é interessante sabermos que sua primeira exposição ocorreu em 1965, no Museu de Arte Moderna, Nova York, nomeada como O Olho que Responde.

Apesar de ser um movimento único e que balançou o mundo da arte tanto nos EUA quanto na Europa, o mesmo é considerado como uma variável do expressionismo abstrato.

Porém este, é conteúdo para outra publicação.

O Envolvimento da Op Art com a Ciência

Apesar de ser considerado um movimento da arte moderna, a op art também tem seu envolvimento ligado com a ciência e já recebeu até mesmo críticas sobre isso.

Uma das bases de criação de obras foi a evolução da ciência, utilizando principalmente de estudos psicológicos de física e ótica da vida moderna na produção das mesmas.

Críticos como o famoso Clement Greenberg foram totalmente contrários ao momento da arte, pois mencionavam que a colisão entre arte e ciência não era saudável.

Clement Greenberg

Clement Greenberg

Principais Características da Op Art

Agora que você já leu mais sobre sua história, início e seu momento mais marcante em uma exposição, vamos conhecer melhor as características dela.

Leia até o final e comente qual característica achou mais marcante baseado nas imagens que já mostramos durante o conteúdo.

Vamos lá:

  • a tridimensionalidade está sempre muito presente;
  • explora-se da fatibilidade da visão através de ilusões;
  • movimento de cores e contrastes;
  • os tons mais utilizados são o preto e o branco, apesar de que também existem obras coloridas, geralmente com tonalidades bem vibrantes;
  • o abstratismo está presente em toda a obra;
  • tem o objetivo de não lhe fazer refletir, mas sim ser envolvido pela obra;
  • por ser envolvido, dizemos que o observador acaba sendo participante;
  • o motivo dessas obras serem ilusionistas, se deve principalmente pela oposição de formas geométricas semelhantes ou totalmente iguais.

Tonalidades Fortes

Tonalidades Fortes

Principais Artistas

Pronto, agora você já está realmente por dentro de tudo que a op art busca passar a seus observadores, portanto, está na hora de conhecer quem fez história dentro desse momento da arte moderna.

Leia abaixo quem são os principais artistas e suas respectivas nacionalidades:

Existem outros artistas que também fizeram parte da op art, porém não ficaram tão conhecidos no âmbito mundial, são eles: Heinz Mack, Larry Poons, Youri Messen-Jaschin, Bridget Riley, Yaacov Agam, Tony Delap e Josef Albers.

Luiz Sacilotto, o representante brasileiro

Luiz Sacilotto, o representante brasileiro

E então, o que achou das obras que trouxemos através de imagens aqui nesta publicação? O que lhe chamou mais atenção na op art?

Percebe como a união da psicologia e da ciência da época, acabam tornando a op art única em relação às outras expressões de arte?

Qual característica conseguiu encontrar mais presente nas imagens que analisou e qual preferiu? Conte para nós, comente abaixo!

Até a próxima!

Conheça o Blog do Teatro L'Occitane