Herman van Kogelenberg

, ,
Herman van Kogelenberg

O holandês Herman van Kogelenberg é Primeira Flauta da Filarmônica de Munique, na Alemanha.

Ainda estudante, se tornou Primeira Flauta da Orquestra Filarmônica de Liège, em 1999. Deixou a orquestra para tocar na Royal Concertgebouw de Amsterdã entre 2003 e 2010. Em 2010 foi convidado pelo diretor musical Yannick Nézèt-Séguin, da Filarmônica de Roterdã, para ser Primeira Flauta desta importante orquestra holandesa. Em setembro de 2013 foi indicado para o posto de Primeira Flauta da Filarmônica de Munique, sob a batuta de Lorin Maazel, tendo se apresentado como solista desta consagrada orquestra em 2016 e 2018.

Herman van Kogelenberg iniciou os estudos de flauta muito jovem, com Willem Tonnaer. Aperfeiçoou-se nos conservatórios de Amsterdã, Utrecht e Haia, sob orientação de Abbie de Quant e Emily Beynon, concluindo o mestrado com honras.

Apresenta-se com frequência como solista, músico de câmara e músico de orquestra, em festivais no mundo todo. Desde 1997 é membro fundador do Quinteto Farkas de Amsterdã, tido como primeiro quinteto de sopros da Holanda, com o qual realizou inúmeras turnês por seu país natal e pela Europa. Gravações recentes do ensemble incluem repertório francês, as Sete Últimas Palavras de Cristo, de Haydn, e o primeiro registro mundial ao vivo do Quinteto de Sopro opus 26, de Arnold Schönberg.

Professor apaixonado e dedicado, o flautista é convidado com regularidade para ministrar masterclasses na Europa, nos Estados Unidos e na Ásia, especialmente no Festival de Música do Pacífico (Japão), na Universidade da Califórnia UCLA e no Conservatório de Música de Xangai (China), entre vários outros locais.

Entre 2007 e 2010, Herman van Kogelenberg lecionou no Conservatório Real de Haia e, de 2010 até 2013, no Conservatório Codarts de Roterdã.

Habilidades

, ,

Postado em

26 de setembro de 2018

Enviar Comentário