A cantora e compositora Mariene de Castro começou a estudar balé aos cinco anos. Aos 12, iniciou suas aulas de canto.

Maria Bethânia declarou em entrevista ao Segundo Caderno, do Jornal O Globo: “O que distingue a Mariene na música baiana é que ela consegue romper, com talento, boa voz e ótimo repertório, a potência sonora que reina na Bahia: axé music, pagode-axé. Ela parece segura e determinada na sua escolha musical mais para a MPB e, por conhecê-la de perto, sei da admiração que ela tem pela Ivete Sangalo, que certamente é um bom norte para qualquer cantora”.

Mariene começou sua carreira profissional como vocal de apoio para Timbalada, Carlinhos Brown e Márcia Freire. Certo dia, um amigo de sua mãe, Vicente Sarno, conseguiu incluí-la na programação do projeto Pelourinho Dia e Noite. Foi seu primeiro show, em dezembro de 1996. No dia da apresentação, dois produtores franceses a procuraram, dizendo que estavam atrás de uma artista emergente. Então Mariene seguiu para a França. Depois de se apresentar em mais de 20 cidades francesas, ser aclamada pela crítica especializada e comparada a Edith Piaf, Mariene voltou ao Brasil, onde se apresentou nos palcos importantes da capital baiana como o Teatro ACBEU (Projeto Terça da Boa Música), Concha Acústica do Teatro Castro Alves (Projeto Sua Nota é um Show de Solidariedade), Sala Principal do Teatro Castro Alves (Mercado Cultural) e no Teatro XVIII, na temporada de A Força que Vem da Raiz. No interior do estado, cantou no Teatro Dona Canô, em Santo Amaro, e está sempre presente no Festival de Inverno de Lençóis.

Com uma forma peculiar de interpretar e uma voz firme e singular, Mariene foi firmando seu nome e conseguiu destaque no cenário musical após conquistar, em 2004, o Prêmio Braskem de Música e ter a oportunidade de gravar seu primeiro CD, Abre Caminho. Na estreia do trabalho a artista conseguiu vender mais da metade das cópias disponíveis. No ano seguinte, o CD foi premiado como melhor disco regional no Prêmio TIM de Música. No mesmo ano, a artista comandou a Lavagem da Igreja de Santa Madalena em Paris, uma festa espelhada na Lavagem do Bonfim. Atualmente, Mariene faz parte de um seleto grupo de cantoras-intérpretes e prova disso é o reconhecimento da crítica e de artistas como Beth Carvalho, que em 2006 a convidou para participar da gravação do CD/DVD Beth Carvalho Canta o Samba da Bahia, quando foi considerada uma das mais gratas revelações da música local.

Em 2008 fez turnê pela Espanha e cantou na trilha do longa-metragem Mujeres Del Mundo, com a música Elas Contam, e na trilha sonora do filme Ó Paí,Ó, na qual cantou a música Ilha de Maré. Participou do filme Jardim das Folhas Sagradas, de Póla Ribeiro, cantou no Dia do Samba no Projeto Música do Parque, levando mais de 15 mil pessoas ao Parque da Cidade e, nesse mesmo dia, a convite de Beth Carvalho, cantou com o Quinteto em Branco e Preto, nos Arcos da Lapa, no Rio de Janeiro.

Em 29 de maio de 2010, Mariene lançou seu segundo álbum, Santo de Casa – Ao Vivo, na sala principal do Teatro Castro Alves, completamente lotada.

Em 2012 mudou-se para o Rio de Janeiro. Em 17 de abril do mesmo ano, Mariene lançou seu segundo álbum de estúdio, Tabaroinha, com selo da Universal Music. Com 15 anos de carreira, vários prêmios de reconhecimento e uma carreira de sucesso, uma das maiores gravadoras do Brasil, a Universal Music, convidou esta grande sambista para fazer parte do seu casting de artistas, ficando responsável pela distribuição nacional e internacional do CD e DVD ao vivo Santo de Casa.

Resgatando tradições, amadurecendo como artista e cantando o que gosta, Mariene de Castro lançou o DVD Santo de Casa – Ao Vivo. Sua voz pode ser ouvida também no premiadíssimo DVD Balé Mulato, da cantora Daniela Mercury, no DVD Beth Carvalho Canta o Samba da Bahia, da cantora Beth Carvalho, no DVD Sambabook, de Zeca Pagodinho, no DVD e nos dois CDs do Sambabook de Dona Ivone Lara, no DVD de Nelson Rufino, nos DVDs do Samba Social Clube.

Habilidades

, ,

Postado em

5 de novembro de 2018

Enviar Comentário